6.1. Hemoculturas

Técnicas de coleta

Anti-sepsia

1.  Lavar e secar as mãos; utilizar luvas, materiais estéreis e descartáveis;

2.  Escolher o melhor acesso venoso para coleta. Garrotear o braço do paciente e selecionar uma veia adequada. Esta área não deverá mais ser tocada com os dedos;

3.  Fazer a anti-sepsia rigorosa com álcool 70% de 3 a 4 vezes até visualizar limpo o algodão utilizado neste processo. Depois proceder assepsia com solução de clorexidina alcoólica, fazendo a assepsia de um ponto central e com movimentos circulares para fora em caracol, não voltando a tocar o local da região escolhida para coleta;

4.  Remover os selos da tampa dos frascos de hemocultura, e fazer anti-sepsia prévia nas tampas com álcool 70% em gase estéril, e manter após assepsia um algodão embebido em álcool a 70% em cima da rolha;

5.  Lavar as mãos e trocar as luvas;

6.  Coletar a quantidade de sangue e o número de amostras recomendados de acordo com as orientações descritas ou discriminadas no pedido médico;

7.  Identificar cada frasco com todas as informações padronizadas e enviar ao laboratório, juntamente com a solicitação médica devidamente preenchida. Respeitar o código de barras do frasco.

 

Observações:

1.  Punções arteriais não trazem benefícios na recuperação dos microorganismos quando comparadas com punções venosas.

2.  Não se recomenda a troca de agulhas entre coleta e distribuição do sangue nos frascos específicos.

3.  O método de coleta do sangue e o volume coletado influenciam diretamente no sucesso de recuperação de microrganismos e uma interpretação adequada dos resultados.

 

Fatores que influenciam diretamente os resultados de hemoculturas:

1.  Volume de sangue coletado por frasco.

Frascos Bactec: coletar de 8 a 10 mL de sangue (adulto) e 1 a 3 ml de sangue (crianças).

2.  Método de anti-sepsia da pele é crítico.

O número de hemoculturas colhidas bem como o intervalo entre elas, apesar de importantes, em determinadas situações clínicas, não são consideradas críticas.

 

6.1.2.  Identificação dos frascos e pedido médico

·      Nome do paciente;

·      Hora e local da coleta;

·      Anotar uso de antibióticos;

·      Possível diagnóstico.

 

6.1.3. Transporte

·      Nunca refrigerar o frasco;

·      Manter o frasco em temperatura ambiente e encaminhar o mais rápido possível para o laboratório.

·      Nunca colocar o frasco na estufa.

 

6.1.4. Número de frascos

·      Deverá ser considerado de acordo com a condição clínica do paciente, e discutido com a equipe de CCIH da unidade;

·      Um total de três culturas em 24 horas costuma ser suficiente para descartar bacteremias, endocardite ou fungemias;

·      Coletas acima de quatro amostras não trouxeram maior índice de recuperação microbiana em diferentes trabalhos clínicos.

 

6.1.5. Orientações

Os critérios para coleta de hemocultura devem ser discutidos em conjunto com a equipe de CCIH da unidade.

Sugestão: Na realidade, duas punções separadas são necessárias, desde de que o volume adequado de sangue tenha sido colhido e que se leve em conta uma possível contaminação da pele. A detecção de um possível contaminante, em uma única amostra de hemocultura, dentre várias amostras (cada punção de locais separados) é altamente sugestivo de contaminação, considerando-se que a detecção do mesmo microrganismo em múltiplas hemoculturas leva ao diagnóstico de uma verdadeira bacteremia.

 

Adultos e adolescentes

·      Endocardite Bacteriana Aguda: Coletar três amostras de punções venosas diferentes (braço direito e esquerdo), com intervalo de 15 a 30 minutos, 1-2 horas antes da antibioticoterapia.

·      Endocardite Bacteriana Subaguda:Coletar três amostras, nas primeiras 24 horas, com intervalo mínimo de 15 minutos, com punções venosas diferentes. De preferência, colher as duas primeiras até do início da febre. Se após 24 horas de cultivo, não apresentarem crescimento bacteriano, colher mais três amostras.

·      Infecções Sistêmicas e Localizadas: Sepsis aguda, Meningite, Osteomielite, Artrite ou Pneumonia Bacteriana Aguda: Coletar duas amostras de punções venosas diferentes, antes da antibioticoterapia, com intervalos de cinco minutos entre as punções. Se possível, 10 a 20 mL por amostra.

·      Bacteremia de Origem Indeterminada: Coletar de duas a três amostras com 15 a 20 minutos de intervalo entre as colheitas. Se as culturas forem negativas nas primeiras 24 horas, repetir o procedimento.

·      Paciente com picos febris regulares: Coletar não mais que três amostras antes do início da febre (1 hora) e evitar o pico febril.

 

Crianças

·      Coletar amostras com 1 a 3 mL. Duas culturas são recomendadas para diagnóstico de bacteremias em recém-nascidos.

FRASCO BACTEC

TIPO AMOSTRA

CLIENTE

VOLUME SANGUE

Lacre  cinza

(PEDS PLUS/F)

aeróbios

pediátrico

1-3 mL

Lacre azul

(Bactec PLUS+Aerobic/F)

aeróbios

adulto

8-10 mL

Lacre dourado

(Bactec PLUS+Anaerobic/F)

anaeróbios

adulto

8-10 mL

Lacre vermelho

(Myco/F Lytic)

micobactérias/fungos

adulto

1-5 mL