Amilase, soro

Preparo:

Jejum de 4 horas para coleta de sangue.

Não ingerir bebidas alcoólicas nas 24 horas que precedem o exame.

Amostra:

Soro ou líquidos cavitários

Coleta:

Sangue: punção venosa (sistema vácuo) em tubo seco (tampa vermelha) ou seco com gel separador (tampa amarela).

Líquidos cavitários: procedimento médico.

Acondicionamento:

Transporte: caixa térmica com gelox (13ºC a 24,5ºC)

Após triagem e separação: refrigerado (2ºC a 8ºC)

Arquivo biológico:

Congelado (-20ºC)

Método:

Enzimático-colorimétrico CNPG7

Referência:

Líquidos cavitários (ascítico e pleural) e soro: 20  a 100 U/L

Interpretação:

Eleva-se em casos de caxumba e parotidites de outras causas (glândulas salivares), sendo que aumentos significativos da amilase são encontrados nas pancreatites, atingindo dosagens de até 4000 U/L nos casos agudos e em casos crônicos até 400 U/L. Normalmente encontram-se a níveis normais nos tumores pancreáticos. Derrames pleurais à esquerda e formação de fístula peritoneal, podem ocorrer nas pancreatites, determinando elevação da amilase e a importância da determinação deste analito nos líquidos cavitários.